InícioBrasilAgro vive cancelamento e atraso de entregas às vésperas do início da...

Agro vive cancelamento e atraso de entregas às vésperas do início da safra 2021/2022

Em pouco mais de uma semana, os agricultores brasileiros começarão a semear a nova safra de soja. Para que o plantio comece bem, é preciso garantir os insumos básicos nas lavouras, como sementes e fertilizantes. Mesmo agricultores que fizeram compras com antecedência, para evitar riscos de falta de produto, estão sendo surpreendidos com cancelamentos de contratos. João Ferri, agricultor de Campo Mourão, no Paraná, foi avisado que não receberá os insumos que comprou. “Todos nossos negócios foram feitos em fevereiro e março de 2021, é o meu planejamento para 2021/2022. E, no fim de agosto, alguns materiais de soja e milho tiveram corte de até 40%. Ou seja, vou ter que mudar todo planejamento em cima da hora”, lamentou.

Os materiais que o João menciona são as sementes. Ou seja, o insumo essencial para implantar a lavoura não será entregue pelo fornecedor ao comprador. Uma das explicações para o problema é que alguns campos de sementes foram afetados por problemas climáticos, que geraram quebra da produção e consequente escassez de produtos. Na indústria, as programações de entrega estão sendo revisadas, e a chegada dos fertilizantes em algumas fazendas poderá atrasar. O fertilizante é o alimento da planta, insumo básico para um bom desenvolvimento. Segundo Leonardo Pereira, diretor operacional da FortGreen, empresa irlandesa com atuação em 11 países, focada em fertilizantes especiais, o problema logístico não afeta somente o Brasil. A expectativa é que a regularização na cadeia de distribuição ocorra em alguns meses.

“Hoje é real e sério o que vamos enfrentar. Apesar de todos terem aprendido com o ano de 2020, nem tudo o que a gente preparou está rodando do jeito que gostaria. Tem gente que comprou, mas a entrega está sendo o grande detalhe deste ano, o atraso… O primeiro impacto é o preço. O frete, há um ano e meio, custava US$ 2 mil. Hoje paga US$ 11 mil, cinco vezes mais. O segundo impacto é a falta [de insumos]: a planta não espera se não aplicar no momento correto. Temos falta de produto no ano de 2021. A tendência é regularizar só no segundo semestre do ano que vem”, disse Pereira. A safra 21/22 começa com um desafio importante pela frente. Alguns produtores já estão seguros com os insumos na fazenda, outros tentam encontrar soluções no mercado para lidar com os cancelamentos e atrasos na entrega de sementes e fertilizantes, por exemplo. O problema logístico da atual temporada é importante risco a ser gerido no campo.

Ultimas Notícias

spot_img