Início Brasil Em carta, Doria pede que Comunidade Econômica Europeia aceite vacinados com CoronaVac

Em carta, Doria pede que Comunidade Econômica Europeia aceite vacinados com CoronaVac

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira, 2, que pediu à Comunidade Econômica Europeia que a vacina CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan com tecnologia chinesa da farmacêutica SinoVac, passe a ser aceita nos países que compõem o continente. “Com a aprovação da Organização Mundial da Saúde da vacina CoronaVac, enviei hoje pela manhã cartas aos presidentes da Comissão Europeia e do Parlamento Europeu solicitando a inclusão da vacina do Butantan entre os imunizantes aceitos por estes países para a entrada de viajantes no bloco de países europeus”, anunciou o governador João Doria (PSDB). Segundo ele, a medida é um passo importante na normalização do fluxo de pessoas e de negócios entre Brasil e Europa.

No documento, datado desta terça-feira, 1, Doria parabeniza os países europeus pela maneira como eles combateram a pandemia e afirma que “no Estado de São Paulo, onde quase 25% da população do Brasil vive, nós também seguimos as diretrizes da ciência e medicina no confronto à Covid-19”. O documento também exalta os milhões de doses que foram produzidas nos laboratórios de São Paulo e enviadas ao Programa Nacional de Imunização. Segundo a secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Patricia Ellen, uma série de reuniões entre empresários brasileiros e estrangeiros tinham feito apelos ao governador para que as articulações com a Europa fossem feitas. “Muitas das viagens internacionais hoje estão limitadas. Todos o que tinham a vacina do Butantan, a CoronaVac, até o momento precisavam fazer quarentena na chegada desses países, então para uma viagem de negócios de três, quatro dias, isso implicava em 14 dias adicionais”, lembrou.

IFA para produção de vacinas

Além de anunciar a carta à comissão europeia, o governo também anunciou o recebimento de seis mil litros de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) vindo da China. Segundo Doria, o montante é suficiente para produzir 10 milhões de doses da CoronaVac e deve chegar a São Paulo no dia 28 de junho. Segundo o vacinômetro do Estado, 17.586.716 vacinas foram aplicadas desde o começo da imunização. Dessas, 11.808.751 foram primeiras doses e 5.777.965 segundas doses. Desde o início da pandemia, o Estado registrou 3.314.631 casos e 112.927 mortes causadas pela Covid-19. O número de internações e óbitos cresceu, respectivamente, 7,4% e 3,6% nesta semana epidemiológica.

Ultimas Notícias