Início Brasil ‘Mudança de tom de Bolsonaro não reflete normalidade institucional’, analisa Constantino

‘Mudança de tom de Bolsonaro não reflete normalidade institucional’, analisa Constantino

Na edição divulgada nesta sexta-feira, 24, pela revista Veja, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) assumiu que extrapolou durante os discursos das manifestações do 7 de setembro e que muitos de seus apoiadores esperavam que ele ‘chutasse o pau da barraca’. Bolsonaro também afirmou que não há chance de serem desrespeitados os resultados das eleições de 2022. Segundo o chefe do executivo, a chance de um golpe é zero no Brasil, mas não deixou de completar: ‘De lá para cá, a gente vê que sempre existe essa possibilidade’, afirmou o presidente se referindo à oposição. Ainda falando sobre o pleito, Bolsonaro afirmou que pretende disputar a eleição, mesmo com as pesquisas mostrando poucas chances dele sair vitorioso. 

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Rodrigo Constantino afirmou que o presidente mudou de tom, mas manteve sua essência e segue jogando “dentro das quatro linhas da constituição”. “O presidente continua na mudança de tom, não de essência. Este é o presidente que tem jogado dentro das quatro linhas da Constituição. O que ele fez no 7 de setembro foi subir o tom e ameaçar que poderia chegar em algum momento que, para reagir ao arbítrio e a ruptura promovidas pelo de lá, ele subiu o tom contra isso. Mas ele continua seguindo dentro das linhas do jogo”, afirmou Constantino. Entretanto, o comentarista fez um alerta de que a alteração da postura do presidente não reflete na normalidade institucional do país. “Não podemos acreditar que por conta da mudança de tom há uma normalidade institucional no país. Essa não é uma realidade e não é por culpa do presidente”, concluiu.

Confira o programa desta sexta-feira, 24:

Ultimas Notícias