Início Brasil Teste revolucionário para diagnóstico de tuberculose será oferecido pelo SUS

Teste revolucionário para diagnóstico de tuberculose será oferecido pelo SUS

Considerada uma das doenças infecciosas que mais matam no mundo, a tuberculose é altamente contagiosa e um grande problema de saúde pública. Atinge diretamente o pulmão e, dependendo da forma, também pode se instalar em outros órgãos como rins e intestinos, além dos ossos e do sistema nervoso. Mas a doença pode ser assintomática, o que prejudica o controle no Brasil. Para reforçar o combate à Tuberculose no Brasil, o Ministério da Saúde promoveu recentemente um pregão para aquisição de um exame inovador, que será disponibilizado à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Qiagen, multinacional alemã especialista em tecnologia para diagnóstico molecular, venceu a licitação e fornecerá ao órgão o teste IGRA, um exame referência e o mais utilizado no mundo. Ele é capaz de identificar a doença em sua fase latente, quando não há sintomas, o que possibilita o tratamento precoce e evita que a infecção se manifeste.

Para a pneumologista e pesquisadora da Fiocruz, professora Margareth Dalcomo, a chegada do exame ao Brasil é absolutamente importante e oportuno. “O Brasil é um país ainda de alta carga de tuberculose, nós precisamos do diagnostico precoce, hoje nós sabemos que pra pensar na eliminação da tuberculose no mundo é necessário se detectar casos de uma situação que nós chamamos de infecção latente. Ou seja, não deixar a pessoa ficar doente para tratá-la”, afirma. Ainda de acordo com Margareth Dalcomo, além de diagóstico preciso – sem necessidade de interpretação – o novo exame apresenta outras vantagens frente ao teste PPD, usado no Brasil há praticamente 100 anos. Seria, segundo a especialista, uma revolução no tratamento da doença no país.

“Os testes IGRA desde que vc tem a possibilidade de colher no mesmo local onde aquela pessoa será eventualmente tratada, eles permitem o diagnóstico muito rápido em algumas horas. Enquanto o teste de PPD ele tem que ser aplicado, aguardar 72h, a pessoa voltar ao local, então já há um problema aí logístico e operacional”, pontua Margareth. Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registrou 66.819 casos novos de Tuberculose em 2020, com um coeficiente de incidência de 31,6 casos por 100 mil habitantes.  De acordo com o SUS, ainda não há data definida para aquisição do novo teste.

*Com informações da repórter Elisângela Almeida

Ultimas Notícias